Curso online Photoshop CC

Depois de muitos meses de trabalho finalmente terminei o último curso online de Photoshop CC 2015,  quem quiser adquirir o curso está super barato (349 reais) que ainda podem ser divididos em até 12x no crédito através do paypal, uma vez que o pagamento é confirmado o usuário poderá baixar todas as aulas para seu próprio computador, tablet ou celular! Também temos o combo promocional After Effects + Premiere + Photoshop por R$799,00
Abaixo temos o vídeo de apresentação e as primeiras aulas que também podem ser assistidas gratuitamente em nosso site http://www.triboaudiovisual.com

Qualquer dúvida nos escreva: contato@triboaudiovisual.com

Valeu,
Rodolfo Miró

Pacote de Texturas

Quem trabalha com 3D, motion graphics, fotografia e design sabe como precisamos usar texturas em nossa rotina de trabalho! O grande problema de buscar texturas pela internet é que quando encontramos um site com grande quantidade de imagens boas, em alta resolução e sem restrição de uso comercial o preço acaba sendo muito caro! Pensando nisso fizemos o pacote de texturas do Tribo Audiovisual, são mais de 300 fotografias com uma grande variedade de texturas e por um preço super barato: Somente R$49,00 reais, e ainda tem a possibilidade de parcelar em até 12x através do cartão de crédito pelo paypal.

Saiba mais informações no vídeo abaixo e VEJA AQUI o mostruário do pacote de texturas!

Curso online de After Effects CC

Como funciona?

Ao todo são 24 aulas, você vai ter disponível pra download todo o curso + os arquivos de suporte pra usar os mesmos clipes de vídeo de cada tutorial. Dessa forma poderá ver o curso em seu próprio computador, tablet ou celular. Todas as aulas são em full HD e em português.

O valor é de R$349 (trezentos e quarenta e nove reais).

O pagamento é realizado através do Paypal, milhões de pessoas utilizam esse meio justamente por ser a forma mais segura e inteligente de compra pela internet, podendo usar cartão de crédito ou débito, é fácil e rápido, caso não queira usar o paypal e prefira fazer diretamente um depósito ou transferência tmbm é possível. Tem disponível o combo promocional dos cursos de After fx + Premiere por 499 reais. (O valor somente do Premiere é 249, se vc compra no combo paga 150).

Após a comprovação de pagamento (que é feita no máximo em 48hs) você receberá um email com o link pra download das aulas e do material de suporte.

Qual o conteúdo do curso?
– Sistemas
– Framerate
– Transmissão
– Gravação
– Timecode
– Correção de cor
– Texto
– Workspace
– Efeitos
– Rotoscopia
– Timeline
– keyframes
– Slow motion
– Chroma key
– Máscaras
– Motion tracking
– Áudio
– 3D
– Câmeras
– Luz
– Particulas
– Expressões
– Como animar personagens
– Shapes
– Interação com C4D, com PSD e premiere
– Como exportar

Qualquer dúvida não deixe de perguntar: triboaudiovisual@gmail.com

AULA 1

AULA 2

AULA 3

Att,
Rodolfo

O Tiro no pé da Google

 Imagem

Quando vi o trailer do filme “Os Estagiários” com nome original (“The Internship”) fiquei curioso pra assisti-lo, como um admirador da Google e de todas as inovações tecnológicas da empresa eu pensei: óbvio que vai ser uma espécie de propaganda da empresa em formato de filme mas ainda assim pelo trailer parecia interessante. O resumo era de dois adultos que após perderem o emprego de vendedores se arriscavam a participar de um programa de estagiários da Google, onde todos eram muito mais jovens que eles e dominavam tudo o que se refere a tecnologia, a qual eles eram muito desatualizados. Ok, a idéia até tinha potencial pra se tornar um bom filme. Dizer que o filme é ruim seria um grande e exagerado elogio, o filme é TENEBROSO de ruim! Até agora ainda estou tentando acreditar que realmente tiveram coragem de lançá-lo e que o corte final foi aprovado como ficou. 

O filme não tem erros em relação a direção de fotografia, som, foco e etc, mas erraram a mão de uma forma absurda quanto ao roteiro. Sempre tive aquela idéia da Google como uma empresa moderna e descontraída, o oposto de uma empresa careta, o conceito de ser descolada me chamava a atenção, aspecto que por um lado foi abordado no filme mostrando a estrutura dos escritórios, mas o responsável pelo processo de seleção dos estagiários era um camarada totalmente rígido, antiquado, mal humorado, parecia o general de um exército, justamente o oposto do conceito que a empresa tenta passar! Talvez queriam mostrar que a diversidade também é um valor? Ok, mas pra isso não precisava ir contra outro valor da empresa! Não tinha como ter colocado um recrutador pior pra representar a Google! Juro que tentei encontrar alguma razão para o perfil do personagem justificando que talvez fosse pra mostrar que ainda que a empresa seja “descolada” também são exigentes, mas foi muito nada a ver o personagem com o conceito da empresa! 

Lembro que um amigo do Brasil sempre me falava que o “segredo de um filme” está no roteiro, que não adianta nada ter uma produção e uma finalização sensacional se não tiver um cérebro inteligente no roteiro, nesse filme definitivamente não teve! Após achar muito estranho o perfil carrasco do funcionário “Google” veio todo o exagero de promover a empresa, ok, óbvio que um filme com a temática da empresa ia promover a empresa, nada mais justo, mas nesse caso foi demais, passou do ponto, não é a toa que tem tantas críticas na internet sobre esse filme, a sensação é de um comercial estendido, e muito mas muito mal planejado! 

Além desses foras e de piadinhas clichês veio a grande viagem do filme, a tara por sexo! Novamente tentei encontrar sentido de que o filme era para um público jovem e tal mas se eu falar que a dose erótica foi exagerada eu estaria sendo muito modesto! Ainda não entendi se era pra ter sido uma comédia ou se era mais um “estilo” pornochanchada mesmo. Já no início do filme mostra o dono de uma loja de colchões falando para seu cunhado que deixou de fazer sexo na vagina da irmã dele, porque o anal era “muito melhor”, ele dizia que uma vez que você tem acesso a “porta dos fundos” a entrada tradicional (vagina) deixa de ter graça, em seguida vai atender uma cliente com uma calça justa e com um traseiro avantajado. Diálogos sem pé nem cabeça com o contexto do filme, era o tipo de conversa que além de estar fora do enredo só estende o tempo da edição tornando o pesadelo do corte final ainda pior. Comentários que não acrescentam absolutamente nada a história, nem diretamente nem indiretamente, ou seja, aplicando qualquer regra narrativa para construir um roteiro, não só poderia como deveria ter sido descartado.  

Depois do papo sobre sexo anal, num outro momento quando a dupla que deseja trabalhar na Google entra na empresa, um jovem ao vê-los comenta com um amigo: Será que eles são gays? E o outro responde: Eu adoraria que meus pais fossem gays! Deixando de lado o bom senso de que todo ser humano que existe no planeta é resultado de um casal hétero sexual, sendo impossível de fato ter pais gays, tentei mais uma vez encontrar uma explicação para mais uma inexplicável pérola sexual do filme: Quem sabe eles querem mostrar o choque das idades, de como é a cabeça dos jovens… mas novamente ficou aquela frase perdida, “livre de preconceitos” no meio de um roteiro confuso…

Depois do “moderno” comentário sobre pais gays o filme segue mostrando uma estagiária que só fala de sexo, piadas com o tom sexual a cada 20 segundos, depois mais pra frente a dupla experiente leva os amigos mais jovens a uma balada na noite e novamente o filme se perde em quase 15 minutos com cenas de striptease, mulheres rebolando no colo dos adolescentes que ejaculam diversas vezes na calça, em meio a cenas de sacanagem e brigas, surge a funcionária Google sexy! Uma dançarina striper que também trabalha na Google! Quiseram mostrar o que com isso? Que a empresa não tem preconceito?! Que é “contemporânea”?  

Todo o filme segue com essa conotação sexual dando a impressão de estar vendo uma comédia pastelão do tipo American Pie, no desfecho do filme um dos atores está num asilo e um amigo lhe diz que é “sensacional” fazer sexo grupal com as velhinhas!!! Nessa hora deixei de tentar justificar tanta besteira pra um filme só! De sexo anal passando por adoção homossexual e terminando em sexo grupal com idosos, eu pensei: Caraca! O filme não era pra ser uma comédia? Não era sobre os 2 desempregados já adultos tentando entrar numa empresa como a Google???    

Erros básicos de roteiro: sair do enredo, mudar o foco, desconexão de idéias, tentar fazer 2 filmes em um, todos esses erros e muito mais é possível ver em “Os Estagiários”, não dá pra acreditar que o trailer é o mesmo do filme! Tem filmes que são ruins do tipo sessão da tarde e tem outros que são tão ruins e desprovidos de qualquer bom senso, “Os Estagiários” se enquadra na segunda categoria. Em todo curso, palestra ou livro de roteiro me deparei com a mesma regra: quem não planeja, planeja fracassar. Por isso que o roteiro é tão importante, eu só não esperava esse tiro no pé justamente da Google.

Como o Premiere interage com AEP e PSD?

O designer e o micreiro

Embora tenha me formado em design PV, acabei migrando pra área audiovisual, na verdade são nichos de mercado próximos e que tem a ver, mas apesar das semelhanças também tem algumas diferenças que me ajudaram optar por essa mudança.

O mercado de trabalho de design no Brasil é uma selva difícil de sobreviver, só pra explicar o que fazemos já é complicado, quando alguém pergunta: o que exatamente é um designer? Confesso que tenho preguiça de responder por que embora tente resumir, a função é muito ampla, além disso, é uma profissão relativamente nova se comparada a outras mais tradicionais, as pessoas não sabem o que é um designer e é uma verdadeira obra de arte tentar explicar a profissão em poucos segundos, um arquiteto ou um dentista, por exemplo, não tem esse problema, é só dizer a profissão que as pessoas já sabem do que se trata!

Somado a ignorância popular (me refiro ao sentido literal da palavra de desconhecer algo) de não ter a menor ideia do que seja um designer, existe a mistura de profissões que se aproximam ou trabalham em conjunto com design: publicidade, marketing, artista plástico, fotógrafo, desenhista e etc, o que só dificulta uma definição simples do nosso trabalho já que as pessoas tendem a misturar com algo que elas já conheçam.  Se geralmente as pessoas tem dificuldade para entender o que é um designer, é claro que também tem dificuldade pra entender como ele trabalha. É comum ver pessoas pedindo pra um designer trabalhar de graça, e as pessoas não o fazem por malandragem (não todas), mas por ignorância mesmo.

Quantas vezes um designer escuta a pergunta: Você não “me ajuda” a criar uma logomarca? Você não faz uns modelos de cartão de visita pra mim? E muitas vezes perguntam na cara dura mesmo sem ter a menor intenção de gastar um centavo! Fotógrafos também sofrem com isso! Imagine alguém entrar num consultório odontológico e pedir para o dentista “ajudar” a tirar uma cárie sem ter a pretensão de pagar por isso! No mínimo diríamos que a pessoa é muito folgada ou fora da realidade! Designers combatem essa mentalidade parasita diariamente, porque se as pessoas já tem um pensamento que é uma “semi-profissão” onde não se cobra e pede-se as coisas gratuitamente, quem dirá aceitar um orçamento profissional para um projeto completo, esqueça! Um designer infelizmente vive cercado de clientes que querem as coisas ou de graça ou com “descontos” de 80% do orçamento!

No “mundo ideal da faculdade” tudo funciona, os professores ensinam os alunos a se valorizar e cobrar uma fortuna pra fazer uma logomarca e toda a papelaria, e falam convictos que é tudo uma questão de se valorizar e não deixar o amadorismo do mercado afetar as relações, na prática é outra história, a quantidade de micreiros que tem por aí é inacreditável, parece que se reproduzem como no filme “matrix”, é assustador! O camarada é engenheiro ambiental e da noite pro dia resolve abrir uma empresa de “design” e se torna “diretor de arte”, a pessoa estudou agronomia e um belo dia decide ter sua própria agência de “design” e de um momento a outro está diante de clientes falando do “conceito visual” do trabalho (lendo o significado das cores pela internet)! É tenebroso!

Agências de design famosas que para um projeto de logomarca e um site cobram mais de 60 mil reais e micreiros que fazem o pacotão 5 mil “resolvo sua vida”! É muito complicado. Não mudei de área pelas dificuldades, elas existem em todas as profissões e temos duas opções: se esconder na desculpa que é muito difícil a realidade do mercado ou superar os problemas, mudei de área por preferência mesmo, me realizo muito mais produzindo vídeos que fazendo sites, é uma questão de gosto pessoal. Com vídeo não tem tanto aquele lance do cliente ficar dando palpite: pinta desta cor, faz uma bolinha verde aqui em cima, nem de ter um chefe que é um mecânico se aventurando a  “diretor de arte” e solta várias pérolas no dia a dia. O cara que trabalha numa produtora de vídeo ou canal de TV vai ter um chefe que entende do assunto e um briefing de trabalho coerente, vai ter um perfil de cliente que entende que o trabalho não é de graça e aceita pagar bem porque entende que coisa bem feita e realizada por um profissional custa caro! É possível ser um designer profissional, ter uma postura profissional, se valorizar e fazer os clientes entenderem o valor de um designer? Sim, acredito que sim, tenho certeza que não é uma tarefa fácil e simples mas é possível. O grande problema é que esse perfil de cliente mais maduro, geralmente está em grandes empresas multinacionais que gastam muita grana para investir em marketing, empresas menores geralmente ainda oscilam entre profissionais e amadores.

Muita gente pergunta: o que você acha da regulamentação da profissão designer? É a favor? Na verdade não sei, sim e não. Sim porque por um lado ajudaria a filtrar pseudo empresas de pseudos designers (essa história do agrônomo, engenheiro, mecânico e palhaço de circo que resolve virar “designer” da noite pro dia e começa a vender o pacotão por 5 mil “resolvo sua vida”), por outro lado acho que tem muito micreiro formado, o que é o micreiro? É o famoso amador, o cara que não cumpre prazos, não sabe redigir um contrato, não sabe negociar, faz o trabalho de qualquer forma só pensando na grana, não se interessa de fato em ajudar o cliente, não se baseia num briefing, não tem absolutamente nenhuma metodologia nem referência, sabe usar o software em si mas é desprovido de qualquer senso criativo ou de estética visual para desenvolver um projeto, e tem muita gente saindo da faculdade assim!

Já vi micreiro formado e já vi excelentes designers sem formação superior em design, particularmente acho que o fato de uma pessoa se graduar em um curso seja ele qual for, já prova algumas qualidades profissionais como dedicação, responsabilidade, pontualidade e perseverança, pelo menos quem se forma é analisado por outros profissionais e tem que provar um mínimo de conhecimento no assunto, tem muita gente que tem preguiça de estudar e tenta sustentar o discurso que a faculdade “não serve pra nada”, não acredito nem em um extremo nem em outro.

Existe de tudo: ótimos designers sem formação superior e micreiros com diploma, não é a faculdade que determina isso, conheci excelentes designers que não se formaram, mas que leram e estudaram sobre o assunto de outras formas, fizeram outros cursos, e quando criam algo, fazem com uma bagagem conceitual muito mais completa que designers com diploma.
Muita gente confunde as coisas quando vê um designer detonando um micreiro, tendem a pensar que o designer está com “medo” do micreiro, de perder “espaço” ou “clientes” a ele, na verdade o que irrita o profissional é que com a quantidade de amadores e com a forma absurda de tentarem se apresentar no mercado como “expert” na área, o mercado fica prostituído, o cliente por mais bem intencionado que seja tem dificuldade de separar as coisas, por que vai pagar 20 mil a mais num projeto? Eu sei, eu sei, se você é profissional e tem tanto micreiro no mercado você vai se dar bem porque vai se destacar em meio a tanto amadorismo, mas por outro lado querendo ou não esses orçamentos do tipo pacotão “resolvo sua vida” oferecidos por pseudo empresas de “design” estragam a realidade do mercado, deixam um rastro de dúvida em um nicho de mercado que poderia ser muito mais valorizado.

Particularmente achei que valeu muito a pena mudar de área, até hoje continuo fazendo freelas de design, mas hoje estou muito mais focado em trabalhar com vídeo, é uma área mais preservada de “pseudo profissionais” e de clientes parasitas que imploram por descontos frenéticos e sem sentido. Ás vezes encontramos uma ou outra empresa de programadores e micreiros que se aventuram a produzir vídeos dependendo de terceiros, mas geralmente é mais complicado porque eles não tem a menor ideia por onde começar, desde equipamentos, prazos de produção, roteiro, direção em fotografia, é outro universo, muito mais caro, mais exigente e mais preservado da bagunça toda que existe na selva dos designers  :)

Tutorial Final Cut – Como otimizar a timeline?

Tutorial Final Cut – Como exportar um vídeo com canal alpha?

Curso Online Premiere CS6

Há tempos que venho planejando fazer um curso online de Adobe Premiere e finalmente está pronto!
Nos últimos meses muita gente me perguntou se eu não tinha um curso barato e completo de Premiere, agora tenho! O curso é via download, são 26 aulas em full HD + material de suporte das aulas pra download pelo dropbox.
O investimento é de 249 reais. É 4 ou 5x mais barato que qualquer centro de treinamento e muito mais completo! Você pode fazer na comodidade da sua casa sem ter que se deslocar, e pode rever as aulas quantas vezes quiser (ao contrário de uma aula em turma).
Um curso que vai desde o básico para leigos, até funções avançadas para profissionais da área.

Veja o conteúdo:

– Sistemas e as diferenças entre eles
– Framerate
– Transmissão
– Gravação
– Captura
– Diferenças de timecode
– Edição no modo offline e com qual software complementar trabalhar
– Como usar o EDL
– Correção de cor
– Backup
– Configurar um projeto
– Personalizar o workspace
– Organizar e otimizar pastas e arquivos
– Usar o Automate e múltiplas timelines
– Marcadores, capitulos e render
– Modos de edição Insert e Overlay
– Todas as Ferramentas
– Atalhos
– Transições e efeitos
– Keyframes
– Chroma key
– Interação dos programas (After, photoshop e premiere)
– Criar textos e modelos de legendas
– Exportar e importar arquivos
– Alteração de velocidade
– Trabalhar com áudio
– Multicam
– Finalização

Além disso vamos ver passo a passo como otimizar o seu computador para ter um melhor rendimento e como configurar o software para trabalhar mais rápido.
Para conhecer melhor o instrutor acesse: http://www.rodolfomiro.com/instrutor

Qualquer dúvida escrevam!
Valeu,
Rodolfo

Tutorial – Como otimizar o projeto no After Effects cs6?